Free CursorsMyspace LayoutsMyspace Comments
Sou Quase Tudo Aquilo Que Acredito.: 2011

Xale de crochê preto

Andei um tanto ausente do blog, o que não quer dizer que não ando crochetando uma coisinha aqui e outra ali... Uma das coisas que andei fazendo foi esse xale...
Fiz através de um gráfico que achei na internet. Me pareceu o mais simples e foi um ponto de partida, já que nunca tinha feito um... O resultado me satisfez.
Como a receita era de uma peça bem simples,
optei por fazer umas florezinhas da mesma cor e fui intercalando nas laterais do xale...
Depois desse já fiz um outro na cor branca, bem mais elaborado em questão de desenho da peça, que depois posto aqui. Segue abaixo uma foto do xale e o gráfico. Cya.


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Bolsa

Mais um post sobre crochê. Dessa vez sobre algo no qual trabalhei por um bom tempo: uma bolsa feita de bolsas; bolsas plásticas, essas que qualquer um de nós mortais recebemos quando vamos comprar alguma coisa no mercado ou seja onde for...
A sacolinha plástica teve seu advento na época da Revolução Industrial e estudos afirmam
que a 1° sacolinha plástica criada nessa época ainda está no nosso mundo, baseado na
afirmação de que elas demoram algumas centenas de anos para se decompor. Nessa nossa época
onde as sacolas cismam em poluir o nosso mundo e algumas das grandes cidades estão vetando seu uso, está ai uma boa utilização para as famigeradas bolsas de plástico.
Quem me deu a idéia foi minha tia, achei bem interessante e partir do que ela me passou, consegui fazer a bolsa. Sua confecção é muito simples. Basta pegar uma sacola e cortá-la em tiras horizontais de forma que as tiras formem elos fechados. esses elos são entrelaçados e assim é só começar a fazer pela parte do fundo da bolsa. Nenhum mistério quanto aos pontos,  uma carreira de ponto baixo seguida de uma carreira de ponto alto e assim sussessivamente. O segredo é ir fazendo as carreiras até a bolsa atingir o tamanho que você julgar melhor. Na verdade optei por fazer esse modelo, mas você pode soltar a criatividade e fazer da forma que quiser.
Uma consideração que deve ser feita é que são utilizadas muitas sacolinhas, essa bolsa, por exemplo deve ter mais de 100 delas, é a única parte que pode ser mais complicada: encontrar a matéria-prima em abundância rapidamente, foi esse o único motivo de eu ter demorado duas semanas para terminar a peça.
Mas o que não faltam na nossa vida são sacolas. Abaixo seguem duas fotos da bolsa.










 

Minha tia fez uma com aqueles sacos plásticos azuis. Eu não vi, mas o resultado com certeza ficou muito bonito. Além de uma boa alternativa pra se guardar compras, esa bolsa feita de bolsas é bem forte, aguenta um bom peso. Espero que tenham gostado. Cya.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Puxa Saco de Crochê

Oi gente, depois de algum tempo sem escrever sobre crochê, posto aqui no blog um artigo sobre esse puxa saco que fiz para a minha avó. Cheguei a olhar alguns na internet, mas optei
por criar o modelo da minha mente mesmo, já que tinha uma certa idéia de como fazer e o resultado me satifez bastante, ficou bem do jeito que eu imaginava. Utilizei as mesmas linhas que já havia usado para fazer um caminho de mesa. É bem simples, qualquer iniciante consegue fazer tranquilamente.

Aqui estão algumas fotos da peça:





Fiz 20 carreiras com a linha rosa e 20 com a linha roxa, o resultado foi esse efeito "mini-saia". Nas bordas um acabamento simples com biquinhos de cores invertidas e 3 florzinhas usando a mesma lógica de inversão de cores. Abaixo segue o gráfico pra quem se interessar
em fazer.



Fácil e rápido de fazer. Espero que gostem. Cya

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

O Ex-Comunista

 Dando uma boa olhada em uma revista, encontrei na última página um dos artigos mais significativos que li nos últimos tempos. Achei-o tão interessante que decidi postá-lo aqui no blog. Vale a pena tomar um poquinho do seu tempo lendo isso.
 O artigo está na edição 2.167 da revista Isto É e foi escrito pelo cantor, compositor e também colunista Zeca Baleiro. Segue abaixo o texto...

O Ex-Comunista

 " - O mundo precisa dos pobres. Demorei a entender isso, mas agora sei: o mundo sem
pobres é inconcebível.
 Aquela frase dita assim, de chofre, no meio de uma conversa informal, me chocou, confesso.
 - Por muito tempo algumas pessoas lutaram pelo fim da pobreza. Eu próprio fui um deles. Mas agora entendo que a pobreza é necesária ao equilíbrio do planeta - ele continuou.
 - Equilíbrio? Como assim?
 - Imagine um mndo só de ricos... Um mundo em que ninguém precise de nada, que seja autossuficiente e abastado...
 - Hmmm...
 - Viu? Você nem consegue imaginar, porque é mesmo impossível. São esses pobres que sustentam o capitalismo, não os ricos. São os pobres que fazem a roda do capital girar. Onde
há pobreza há desejo há consumo Se as pessoas consomem, a rede da economia gira, entende?
 Eu permanecia mudo. Embora reconhecesse que havia algo de tecnicamente correto naquele
raciocínio, sua fala me soava demasiadamente cínica. Prosseguiu em sua teoria.
 - Quem são os maiores vendedores de discos?
 - Os artistas populares, imagino - falei.
 - Pois é, artistas populares, aqueles que são ouvidos pelos pobres, certo?
 - Acho que sim.
 - Quais as lojas com maior receita? As lojas que vendem artigos populares, certo?
 - Acho que sim, também não sei...
 - Eu sei, vai por mim. Melhor ter um boteco em Pirituba do que uma loja de chapéus de grife no shopping Iguatemi O custo/benefício é mais vantajoso.
 - Nunca parei pra pensar nisso.
 - Rico não consome porque tem um desejo genuíno ou uma necessidade vital. Rico consome
pelo glamour, porque quer ser visto com o barco, o carro novo, a casa projetada pelo arquiteto hype... Pobre não. Pobre faz seu "puxadinho", ergue sua laje e fica feliz da vida, porque ainda que se orgulhe em mostrar pro vizinho, não o fez só por isso. Fez porque tinha necessidade daquilo. E quem precisa fazer faz. Quem precisa comprar compra.
 - Mas o capital está na mão dos ricos.
 - Sim, mas foi ganho à custa de pobres, não de outros ricos.
 - Sim, mas há serviços que pobres não consomem, apenas ricos.
 - Sim, há. Mas nenhuma fortuna é erguida sem a participação dos pobres.
 - Como assim?
 - Tá vendo aquele condomínio de luxo? Imagina quantos pobres trabalharam para erguê-lo? E
quantos outros agora trabalham para mantê-lo funcionando?
 - Não sei.
 - Muitos, acredite. Tá vendo aquele shopping acolá? Entre e faça uma enquete. Aposto que há
mais pobres circulando lá do que ricos.
 - Mas...
 - Acredite no que tô falando. Dinheiro para o rico é esporte. Para o pobre é paixão."
Esse texto com certeza nos faz pensar. Gera opinião, gera crítica. Talvez ele contenha uma dessas verdades que todos nós sabemos no nosso subconsciente e faça para você o sentido que fez para mim.
Talvez seja só um texto audacioso e chovinista. Mas com toda certeza vale a pena ler cada linha.



Espero que tenham gostado, apesar de não ter muito em comum com resto dos posts. Cya.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Os 1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer

No último sábado, uma agradável conversa sobre boa música acabou gerando para mim o empréstimo deste ótimo livro.
Mais que um livro, um apanhado de tudo que obteve destaque no cenário musical a partir dos anos 50.
Esta obra, como o próprio título já entrega, faz uma listagem (feita a partir de álbuns selecionados e comentados por 90 críticos
de renome internacional) dos trabalhos musicais que, segundos eles, você não pode deixar de ouvir.
É um ótimo guia, tanto para quem não conhece muito, mas quer se aprofundar sobre vários estilos, como também para pessoas interadas no assunto. Podendo acompanhar os comentários como um ponto de vista.
São quase 1000 páginas trazendo não só discos e excelentes fotos dos artistas, mas mais que isso, traçando a história da música mundial.

Foi uma grande surpresa encontrar nele álbuns de bandas como Anthrax, Slayer, Megadeth, Sepultura, Pantera, Iron Maiden... Que mostram que o metal tem sim, seu lugar no mainstream
e com qualidade incontestável para os fãs mais radicais.
Figuram no livro trabalhos que vão de Elvis, Frank Sinatra até Amy Winehouse.
Evidente que este livro não é uma obra perfeita e acabam aparecendo álbuns de gente totalmente descartável como Britney Spears e alguns artistas de R&B/rap que nada acrescentam. Mas é até perdoável, comparado com os grandes discos que recheiam o livro. Porém toda essa variedade musical acaba deixando a obra mais abrangente, possibilitando ao leitor fazer uma analogia entre os álbuns e assimilando o que é bom ou (nem tanto assim do que é realmente) ruim.

Falando em Rock, no livro aparecem discos de Lynyrd Skynyrd, ZZ Top, Led Zepellin, Pink Floyd, Black Sabbath, Deep Purple, Alice Cooper, The Who, Creedence, Jimi Hendrix, Cream e isso só para destacar alguns.
Temos também um bom apanhado dos lançamentos mais significativos do Blues, do Jazz, do Soul, Dance, e mais estilos, apesar de ser mesmo mais focado no Rock/Pop.
Deve-se destacar também a presença considerável de álbuns gravados por brasileiros como Caetano Veloso, Mutantes, João Gilberto, mostrando que a nossa (boa) música tem relevância lá fora.
Sem querer julgar o livro pela capa (literalmente), mas já julgando. A capa que traz o transgressor Sid Vicious podia bem trazer algum outro grande nome. A foto de capa
perfeita na verdade, seria a da contra capa, que traz Jimi Hendrix fumando um cigarrinho
e segurando um bolachão do Lenny Bruce.


Uma imagem mais detelhada da capa.

Enfim, não dá para resumir uma obra de mais de 960 páginas em poucas linhas.
Mas talvez essa opinião em particular instigue alguma pessoa a procurar pelo livro
e escutar esses 1001 discos.
Eu e o livro...


... E a capa que eu elegeria...

Espero que tenham gostado deste post. Cya.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Pra ouvir e curtir: Houses of The Holy (Led Zeppelin)

E aqui vai mais um bolachão, o quinto álbum de estúdio do grande Led Zeppelin. "Houses of The Holy" é um album bastante diversificado,
trazendo influências do Blues, Funk e até do Raggae, como podemos ouvir na faixa D'yer Mak'er.

Foi o último disco da banda lançado em parceria com a Atlantic Records e eleito em 2003 pela Rolling Stone o 149° disco dos 500 maiores álbuns de todos os tempos. Conferir é sempre válido.
Vale lembrar também que duas apresentações da tour desse disco geraram o filme e o álbum ao vivo "The Song Remains The Same".




Faixas:
Lado 1"The Song Remains the Same"
"The Rain Song"
"Over the Hills and Far Away"
"The Crunge"

Lado 2
"Dancing Days"
"D'yer Mak'er"
"No Quarter"
"The Ocean"


Cya.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Prepare a pipoca: O Hábito não faz o Monge (In God We Tru$t)

Mais um dos filmes que fizeram parte da minha tenra (e não tão distante assim)infância. É curioso, mas comparando com os filmes que hoje em dia povoam a Sessão da Tarde, no século passado as películas que invadiam nossas tardes eram bem mais aceitáveis. Cada época tem os filmes que merece. Mas não vamos generalizar. Tem muita gente ai que corre atrás e merece conhecer coisa boa. Na minha humilde opinião esse filme é uma delas. Talvez a maioria não conheça, mas é provavel que muita gente com no mínimo 20 anos possa ter visto esse longa figurando no vespertino "Cinema em Casa" do SBT.
In God We Trust, no português perfeitamente adequado com o título de O Hábito não
Faz o Monge
conta a história do monge Ambrose, que nunca havia saido do mosteiro, e se depara com o desafio de desbravar "a cidade grande" com a tarefa de arrecadar 5 mil dólares para salvar o monastério, com a ajuda de uma prostituta (irônico não?!)O filme acaba contendo uma crítica ácida contra as pessoas que usam o nome de Deus para obter lucros, mesmo sendo uma clássica comédia.
Marty Feldman vive o monge Ambrose e mesmo não sendo nada (eu disse nada mesmo)atraente (ao contrário, pobrezinho) consegue cativar o povo com seu jeito engraçado, tímido e atrapalhado.
Se você já viu, talvez valha a pena rever, nunca assistiu? Corra atrás e não deixe de conferir.
Abaixo o cartaz e um video no Youtube para os interessados.







Abraço a todos. Cya!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Prepare a pipoca: O Príncipe das Sombras

Já tem um bom tempo que não posto nada sobre filmes, então resolvi retomar o tema depois de um certo hiato...
E para agradar em cheio as moçoilas, esse post tem foco num certo loiro que faz a alegria da mulherada ( e de muitos homens também)...
Que o Brad Pitt é um dos astros mais badalados
do cinema todo mundo sabe. Todo mundo sabe também que ele estrelou grandes filmes ao longo da carreira, como  Entrevista com o Vampiro,Tróia e Onze Homens e um segredo (11, 12, 13, etc..) dentre outros.
Este porém, muita gente mais jovem não deve conhecer.
Falo do filme Príncipe das Sombas (The Dark Side of the Sun)estrelado pelo marido de Angelina Jolie no ano de 1988.
Pude assisti-lo pela primeira vez há uns 12, 14 anos atrás e me encantei pela estória
e claro, pela beleza do ator principal que estava deslumbrantemente lindo.
Mas isso todo mundo já sabe. Então vamos para a sinopse...
Brad vive um jovem que é vitima de uma rara doença de pele que o impede de ter contato com raios de sol. Um curandeiro se diz capaz de curá-lo, mas apenas por três dias. Então ele decide vivê-los de forma intensa ao lado de uma jovem por quem se apaixona, mesmo tendo em mente que seu tempo está contado.
Quanto ao final, bom melhor eu não contar para não estragar a vontade de assistir...

Não sou muito chegada a filmes de romance, mas esse conseguiu chamar minha atenção.
Enfim, um belo filme, um belo ator. Vale a pena assistir. Abaixo segue um cartaz e um
trailer do longa para quem se interessar...






Pretendo postar mais artigos sobre cinema. Especialmente sobre filmes que marcaram a minha infância
e acredito que a de muita gente...
Grande abraço a todos. Cya!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Pra ouvir e curtir: Made In Europe (Deep Purple)

A música é a respiração da alma, combustúvel pra mente.
E cá estou eu com uma boa dose de gasolina. Nada mais
nada menos que o álbum Made In Europe, de 1975.
Um disco clássico e obrigatório pra todo mundo que curte o bom e velho Rock N' Roll. Tão bom que tenho além do bolachão, a versão em CD.


Integrantes: 
David Coverdale (V)
Ritchie Blackmore (G)
Glenn Hughes (B/V)
Jon Lord (K)
Ian Paice (D)


Faixas:
1- Burn
2- Mistreated
3- Lady Double Dealer
4- You Fool No One
5- Stormbringer





É pra curtir do início ao fim. Cya

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Selinho

Olhem só o selinho que peguei hoje no Blog da Gisele Sanches. Obrigada Gisele!



O blog dela é um capricho. Recomendo que visitem-no pelo link: Fascínio Pelo Crochê
está recheado de posts sobre artesanato, crochê, etc.

Esse selinho está disponivel pros meus seguidores agora.
Grande abraço!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Caminho de Mesa

Oi pessoal, andei um bom tempo sem dar as caras por aqui.
Depois desse tempo de ausência pretendo ir aos poucos me atualizando com os posts das pessoas que sigo.
Mas já há alguns dias vinha nutrindo a idéia de postar algo novo no blog
e cá está. É um trilho de mesa muito fofo. Super fácil de fazer e dá um resultado
bem bonito. Abaixo segue o gráfico e uma foto para ilustrar.


A peça ficou bem legal, o resultado ficou acima do que imaginei. Pela foto dá pra ter uma idéia. Mas claro que vendo a peça em sim é melhor...

Um grande abraço. Cya!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Marcador para livros

Saudações! Ontem estava garimpando
na net alguma coisa fácil e bem legal
de crochê que eu pudesse fazer - e que fosse
útil também.
Ai encontrei este marcador feito com "leques"
de livros.
Achei interessante e resolvi começar
mais essa empreitada.


-> Dados do Marcador:

Como meu estoque de linhas está péssimo -
meus novelos e carretéis praticamente acabaram
todos -, estava em busca de algo que eu pudesse
fazer para gastar o resto das linhas que estavam
sobrando e que não fosse muito complicado ou
exigisse muita linha.
Então encontrei esse gráfico no Blog
Fazendo crochê.
O resultado da peça vocês podem conferir abaixo:



A bateria da câmera mais uma vez estava no fim, por isso
peço perdão pois a foto não mostrou 100% a peça...
E para as interessadas, aqui vai o gráfico:


O ideal é fazer com linha e agulha bem fina,
assim o resultado fica ainda mais delicado.
Como minha mãe quebrou minha agulha mais fina, tive
que me virar e fazer com a minha 1,50 mm mesmo.
Mas o resultado ficou do meu agrado e vai tornar
minhas futuras leituras ainda mais bonitas.
Grande beijo! Até Breve!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Capa para MP4

Olá para todos! Há uns tempos atrás,
andei fazendo para meu MP4 duas capinhas de crochê,
já que além de uma forma de protegê-lo, seria também mais
uma coisa para se fazer e ajudar a exercitar minhas "agulhadas".


As duas primeiras capinhas que fiz foram feitas
só com pontos picô ou "quadradinhos" (sim, agora descobri
como se chamam os pontos que parecem quadradinhos!). E
não tinham nada de muito especial, e por serem coisa da minha
cuca acabaram ficando mais de amostra mesmo. Embora eu os
utilize bastante.
Utilizava, na verdade, já que o primeiro que eu fiz desapareceu
desde que fui viajar, e o segundo e mais caprichado foi levado
pelo meu pai para proteger o outro MP4 que ele levou numa viagem
de trabalho. Ou seja, fiquei de mãos vazias...
Desde que ele viajou, e já fazem uns bons dias estou matutando na minha cabeça:
"tenho que pegar e fazer uma outra capinhas pra mim..." e hoje no
fim desta tarde comecei a fazê-la.


->  Dados da capinha:

Nada de muito complicado aqui. Assim como as outras duas primeiras
capinhas, essa terceira eu mesma bolei. Foi feita toda com ponto alto.
Como minhas linhas já estão ficando escassas (preciso repor meu estoque!)
e queria fazer uma coisa mais alegre, acabei utilizando duas cores nela.
A maior parte das carreiras foi feita com a linha amarela de um novelo
que ganhei da minha avó, e as duas últimas carreiras eu usei um pouco da
linha do meu novelo 8/5 cor de Oliva da "Rayontex".
Eu gostei do resultado, o que era esperado já que não tem nenhum mistério.
É muito fácil de fazer e um bom exrcício para iniciantes e é rápido de se confeccionar (levei pouco mais de 1 hora para fazê-la).
Além quem tem mais experiência pode soltar a imaginação e adicionar
novos efeitos...
Abaixo seguem fotos da capinha para MP4:






E para quem se interessar ai vai um gráfico que eu mesma desenvolvi:
(resultado de minha "fuçassão" no paint rs)



Lembrando que este gráfico ai é frontal.


Espero que tenham gostado, foi simples, mas feito com muito carinho!
Até breve! Cya!



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Lugar de Nerd

Alô para todos. Há um certo tempo atrás,
publiquei aqui no meu blog um artigo sobre o blog
Polvora Zine, que é comandado pelo Écio,
um blog com a nobre tarefa de divulgar o Metal nacional.
Acho que como blogueira, tenho o dever de transmitir
a todos os blogs que sigo e/ou acho legais.
Então estou aqui para falar de um outro blog
da qual sou fã, o "Lugar de Nerd", criação
da brilhante mente do meu amigo Juninho.


O foco do blog é extenso. Já que ele não se prende a um só tema, tratando de vários pormenores do
universo geek.
De acordo com o seu criador é um blog que fala
de anime, metal e games, mas na verdade é
algo muito maior que isso.
É muito bom visitar a página e saber que lá vou encontrar
muitas curiosidades e me divertir também.
Afinal lá encontro tudo que eu gosto e os temas
pelos quais me interesso. Não que eu seja uma nerd rs


Em suma, o Lugar de Nerd é na verdade o lugar de
qualquer pessoa que goste de ficar bem informada
sobre as coisas da atual e também da antiga geração.
Aqui está o link do blog:

http://lugardenerd.blogspot.com/

Entrem e divirtam-se.


Cya!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Toalhinha Abacaxi com Gráfico

Um grande salve a todos! Na verdade devo confessar algo,
sempre tive um pé atrás em seguir receitas gráficas para crochê.
Talvez pelo simples motivo que não sabia interpretá-las corretamente,
ou por preguiça mesmo XD...
Mas o fato é que quando você se toca sobre o que as legendas significam,
fica tudo claro. Isso é papo de iniciante, mas como nunca havia falado
sobre isso, achei importante falar, para quem está começando ou para quem
não entende do riscado...
Esse receio em seguir receitas, perdurou durante um bom tempo. Tanto que
tudo, mas tudo mesmo que eu havia feito até agora era coisa da minha cuca.
Ou seja fiz de "cabeça" mesmo. Nunca havia seguido uma receita sequer.
E mesmo depois de já ter adquirido mais um pouco de conhecimento sobre
os pontos do crochê, ainda continuava receosa em seguir uma receita com medo
de eu simplesmente embolar o meio de campo e dar tudo errado.
Até que neste último domingo parei e pensei: "Quer saber?! Eu vou é dar uma fuçada
na internet para ver se encontro algo legal para fazer". Esse "algo" na verdade,
eu já tinha em mente o que eu queria fazer, uma toalhinha.
Acho que não há nada mais simples de se fazer seguindo uma receita do que uma
toalhinha, já que é a primeira coisa que a maioria das pessoas que fazem crochê
confeccionam.
Então lá fui em em busca de uma receita que não fosse lá muito complexa, mas
que fosse acima de tudo do meu agrado. Então encontrei uma receita no blog
"Flores e Pontos" e comecei de forma desprentenciosa com a mente pensando "Vamos
ver no que isso vai dar...". E para a minha surpresa (nem tão surpreendente assim)
não só obtive êxito, como agora posso me arrogar em dizer que consigo interpretar
um gráfico sem muitas dificuldades...


-> Detalhes sobre a toalhinha

Aqui seguem alguns pontos importantes sobre essa toalinha, que nem é tão "toalhinha"
assim - aliás tem um tamanho satisfatório.
Demorei 2 dias para fazê-la e utilizei barbante comum na sua confecção. Mas como meu
carretel de barbante já estava no fim e não daria para finalizar o trabalho, resolvi
unir a necessidade e a criatividade fazendo o resto que faltava utilizando o resto do
meu novelo 8/5 "Rayontex" da cor Caqui (o mesmo que utilizei para fazer o cachecol e
a touquinha) para finalizar o trabalho a partir de um determinado ponto onde o
barbante não poderia ser mais usado.
Para minha sorte, esse pequeno contratempo na verdade foi válido, já que deu um certo
charme a toalhinha, que vocês podem conferir na imagem abaixo:




Espero que tenham gostado do trabalho. Abaixo segue o gráfico utilizado, caso queiram
fazer a peça, e eu asseguro que não é nada difícil.




Um grande abraço a todos! Cya.


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Blusa de Crochê

Nestes dias em que estive fora, como já disse antes, tive oportunidade
de progredir muito no crochê.
E durante esse período pude ocupar uma parte de meu tempo confecionando
uma blusa de crochê.
No começo, confesso que fiquei um pouco receosa, já que seria a primeira
vez que tentaria faze uma blusa. Mas depois de menear entre fazer mais uma
toalhinha ou partir para algo que exigiria mais das minhas aptidões, optei por
seguir em frente na peça. E fiz a coisa certa.



-> Dados da blusa:

Com as recomendações da Dona Malvina, primeiramente fiz uma base de correntinha
e medi no corpo, para saber qual tamanho ela deveria ter.
E fui seguindo no trabalho. O resultado foi uma blusa no modelo que segue
na figura abaixo.
Ela foi feita com um novelo 8/5 cor de Oliva da "Rayontex" e que não custa nada caro.
Pode se dizer que a blusa tem apenas 3 tipos de pontos: Ponto baixo, ponto "quadradinho"
e o "4 laçadas em um único ponto". Nada muito complicado. Mas que resultou num
trabalho que modéstia a parte, superou minhas expectativas - ainda bem.
Levei 5 dias para sua confecção. E isso porque eu nem ficava somente por conta dela,
se não talvez tivesse terminado até antes. Mas para quem pensou que fazer uma blusa
dessas demoraria até o Natal, acho que me superei...
Devo dizer que assim como a touquinha e o cachecol, esta blusa também foi obra da minha
cabecinha, ou seja, não segui nenhuma receita, foi 100% cuca mesmo.
Na parte do busto tive que fazer este detalhe em "V" para diminuir o tamanho do
decote (Afinal eu queria uma blusa, não uma fantasia de escola de samba rs), o que
deu até um certo charme a ela, não acham?! (digam que sim rs).
Enfim, foi totalmente válido confeccioná-la e pude ter certeza de que com dedicação
e força de vontade poderei aprender cada vez mais!




Espero que tenham gostado. Breve mais novidades!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Aqui e de novo outra vez

Uma grande saudação a todos! Depois de tantos dias, cá estou eu novamente,
postando mais uma vez nesse singelo "bloguinho".
A verdade é que há dias estava doida pra escrever aqui, afinal o que não me
faltou foi sobre o que falar. Mas a internet era limitada e postar algo decente
requer tempo e dedicação. Dai decidi postar mesmo só depois que voltasse para casa.
Minha viagem foi muito boa, pude aprender, viver e fazer muitas coisas legais, passear
bastante, ir a festas, me divertir, mas acima de tudo, o principal motivo dessa minha
sumida é mais que justificável, já que antes disso tudo estava a saúde da minha mãezinha
querida que passou por um procedimento cirúgico, que graças a Deus correu muito bem.

Além disso, pude aproveitar bastante o tempo que fiquei ausente, aprendendo muito
com uma crocheteira de primeira: a Dona Malvina, com quem aprendi coisas bem legais e que
me ajudou bastante sobre como fazer as coisas.
Claro, ela está anos luz de "crochetice" na minha frente, mas posso me arrogar em dizer
que pude absorver bastante coisa.
Coisas essas que estou louca pra contar, mas para dar aquele gostinho de quero mais
vou ir postando aos poucos.

Os trabalhos da Dona Malvina ficam lindos, pena que não consegui fotografá-los...
Mas vou ver o que posso fazer para conseguir algumas imagens deles para vocês verem, vale a pena.
Ela ficou feliz pelo meu interesse em crochetar, já que por aqui não é fácil pessoas
"mais jovens" que façam. E ainda me deu um carretel novinho com essa linha de cor
amarelo canário. Já até sei o que vou fazer com ela. Mas isso é outro assunto...
Um grande beijo a todos!



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Pólvora Zine

Há alguns anos, através do orkut, conheci um rapaz
aqui de Minas chamado Écio. Muito gente fina e com
ótimo gosto musical (Alguém ai gritou: Metal?!!!!).

E a devoção pelo metal fez que ele criasse o Zine
Virtual Pólvora, com a louvável iniciativa de
divulgar o Metal, especialmente o Metal feito aqui
nessas terras Tupiniquins e que merece sim muito respeito
e incentivo.
Não é novidade que existem muitas bandas aqui que fazem
um som de alto nível e espaços como o Pólvora Zine
devem receber muitos méritos por tratar com dignidade
sobre elas.

Com a cobertura de eventos, entrevistas e a divulgação
do material dos grupos; O blog funciona como uma vitrine
para que um número maior de pessoas tenham conhecimento
da grande e produtiva cena Underground que nosso país
possui.

Parabenizo ao Écio por todo trabalho realizado no blog.
O Metal envolve paixão, atitude... Só quem curte sente e sabe
do que estou falando. É algo único, que toca a alma...
E fica o desejo que através dessa pequena fonta de divulgação
pelo meu blog também sirva de janela para que mais pessoas
conheçam o Pólvora Zine.


Confiram as últimas novidades dele através do endereço:

http://www.polvorazine.blogspot.com/





Vejo vocês em breve! Beijos a todos!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Uma flor para outra flor...

Ontem passei boa parte da tarde fazendo
uma nova florzinha de crochê, mas dessa vez para a
minha querida amiga Deca!
Que é praticamente minha irmãzinha mais nova.
A amizade dela tem muito valor pra mim, pois é
algo muito doce e sincero.
Vira e mexe fofocamos sobre os gatos do cinema ou
da TV e ficamos passando fotos dos galalaus uma
pra outra.
É muito divertido né flor. Aliás graças a ela,
o apelido de "flor" agora faz parte do meu
dicionário fixo.

Outro dia, mostrei a ela este singelo blog,
ela disse que gostou das flores de crochê. Então perguntei
se ela não queria uma. E aqui está sua flor moça!
Espero que goste desse pequeno mimo. Uma lembrancinha
simples, mas de coração e com todo carinho da
sua sister.

Eu a fiz na cor branca, assim como a que tenho.
Foi feita por correntinhas que se entrelaçam até formar
a rosinha. No meio apliquei uma miçanga branca e para dar
um charme a mais, outras duas penduradas. O efeito é
muito fofo.

Flor, vou ficar ausente uns dias, mas assim que eu voltar,
arranjo um jeito de lhe entregar o mimo, ok?

Aqui está uma foto da florzinha...





Nos vemos em breve! Cya.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Selinhos

Ainda sou "bebê" se tratando de "bloguear", mas uma novidade
que achei interessante foi a dos selinhos.
Consegui as informações com algumas das meninas que eu sigo
e fiquei cada vez mais encatada com as possibilidades
que meu blog pode alcançar...
Gostaria de Agradecer a Luciana e a Gisele Sanches, do lindo
blog "Fascínio Pelo Crochê" do qual já sou fã!


http://fasciniopelocroche.blogspot.com/


E foi através do blog da Gisele que consegui meu 1° selinho.
Estou muito feliz!!!


Aqui está o selinho (Olha que bonitinho!!!):





Eu devo repassá-lo a 12 blogs, mas ainda não tenho sequer 12 blogs
me seguindo, então vou ir aos poucos "selando" os blogs dos meus
amigos.


Os dois primeiros blogs contemplados com o selinho são:
--> O Blog do Vitor:


http://o-x-da-questao.blogspot.com/

--> O Blog "Lugar de Nerd" do Juninho:

http://lugardenerd.blogspot.com/


--> E o Blog do Sorriso (Hebert):


http://hebertbatera.blogspot.com/


Espero distribuir mais selinhos em breve. Obrigada a todos pela atenção. Cya

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Drácula de Bram Stoker - O Filme

Há alguns dias publiquei aqui no blog um post sobre o clássico
literário "Drácula", do autor irlândês Bram Stoker.
Ficou também a promessa de comentar um pouco sobre o filme inspirado no
livro.

Como a grande maioria já sabe, a história do vampiro ganhou diversas
versões cinematográficas como o Nosferatu (Filme alemão do início do
século XX com base na história de Drácula, mas com nome diferente devido
a problemas autorais com a viuva de Bram); o filme homônimo da década de
30, protagonizado pelo húngaro Bela Lugosi. Além dos estrelados pelo ator
Cristopher Lee e mais uma centena de filmes ao redor do mundo tendo como
alicerce o universo criado por Stoker.

Porém, o auge cinematográfico do grande clássico do horror, teve seu momento
no filme dirigido pelo renomado diretor Francis Ford Copolla em 1992.
Filme este que será o asunto principal deste post.

Devo confessar meu entusiasmo em falar deste filme, que é um dos meus preferidos
de todos os tempos. Ou seja aqui está a opinião de uma fã... Tendo isso em mente,
vamos tratar do filme em si.

Alguns pontos dele devem ser levados em consideração, como o fato de que no
longa, Drácula, antes de virar um morto-vivo, era um príncipe guerreiro
que ao voltar da guerra descobre que sua noiva cometera suicídio, pensando
que ele havia sido morto em batalha. Revoltado, ele acaba vendendo sua alma
às forças do mal e passa a vagar pela eternidade. Séculos mais tarde, ele
descobre que seu grande amor reencarnou numa jovem moça inglesa chamada Mina.
A partir daí, ele traça um ardiloso plano para ir ao encontro dela e
fazê-la se apaixonar por ele.

E neste fato, há uma discordância, pois no livro isso não ocorre. Na obra de
Stoker Drácula não é apaixonado por Mina, tendo-a simplesmente como "uma fonte
para obter sangue", assim como fizera com sua amiga Lucy.

O fato na verdade, não desmerece muito menos torna o filme menos fiel
ao livro. Pois é a paixão de Drácula por Mina quem dá o tom nessa história
tão envolvente.

Os esforços que o conde faz para encontrar sua amada e fazê-la se lembrar de sua
vida passada chegaram a me compadecer, pois ao mesmo tempo em que ele mata
cruelmente, tem um sentimento puro em relação à moça.

O filme, como já disse possui uma atmosfera extremamente envolvente, hora
nos deixando arrepiados, hora se aproveitando do lado sedutor de Drácula,
que é muito explorado no filme.

Mas o filme não seria tão bom se não fossem as atuações do brilhante
elenco envolvido. No papel título está o ator inglês Gary Oldman, que
na minha opinião merecia um Oscar por uma interpretação extremamente
apaixonante de Drácula. Temos ainda no elenco a atriz Winona Rayder, que
interpreta Mina Murray e a brilhante atuação de Anthony Hopkins no papel
de Van Helsing. O elenco ainda conta com nomes como Tom Waits na pele
do maluco Heinfield e Keanu Reeves vivendo Jonattan Harker (noivo de Mina
e refém no castelo do conde), que acabou tendo uma atuação um tanto apagada
considerada com os demais.

A química do casal principal é tão convinente que acabamos por torcer
para que os dois fiquem juntos, tamanho entrosamento dos protagonistas.
E apesar de o filme beirar os 20 anos de sua produção, devemos notar o capricho
do figurino e da cenografia. Fora a trilha sonora, que é um capítulo a parte.

Enfim, poderia escrever um livro que ainda teria o que falar.
Só posso aconselhar a todos que ainda não assistiram para não perder
tempo e ver, e que gostem tanto como eu gostei.

Gary Oldman é um dos meus atores favoritos. Adoro muito ele. Como
Drácula ficou perfeito. Emprestou seu talento e charme ao personagem
de uma forma esplêndida. Já que no filme ele interpreta o vampiro de
muitas formas: O príncipe que vende sua alma séculos atrás, o velho decrépto
do castelo, o jovem que sai pelas ruas de Londres, uma figura animalesca que
mais parece um lobisomem, entre outros...

Já aproveito aqui o gancho e aviso para as moçoilas que falarei em algum post
futuro sobre meus artistas/galãs prediletos no cinema.

Grande abraço a todos!

O casal protagonista.

Cartaz do filme.


Gary Oldman e duas faces de Drácula: O velho conde e o jovem nobre que vai a Londres
em busca da amada.



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Cachecol de Crochê

É difícil descrever com palavras o quanto está quente aqui onde eu moro.
Em toda a cidade não é diferente. Esta parte de Minas é realmente muito
afetada pelo verão nesta época do ano. Ésta tão quente, mas tão
quente que se uma galinha botar um ovo, é capaz dele já sair cozido!

Mas por mais improvável que possa parecer, usei parte do meu tempo livre
confecionando um cachecol(!) de crochê.
Crochê, para mim e acredito que para boa parte das que o fazem, é uma
atividade viciante. Tão viciante que me fez num lapso, ter a brilhante
idéia de em meio a um trepidande calor de 40°, fazer um cachecol.

-> Dados do cachecol:


Minha idéia inicial foi fazer um cachecol que servisse de par com a touquinha
que havia feito alguns dias antes, que também teve post referente publicado
aqui no blog. Partindo desse princípio, utilizei a mesma linha da touca,
provida de um novelo 8/5 da marca "Rayontex", na cor Cáqui.

Medindo 12 cm de largura por 1,55 m de comprimento, tem as laterais feitas
com pontos médios. Tendo as mesmas já feitas, fiz três carreiras pontos
"quadradinhos" tendo cada uma delas 11 "quadradinhos". Depois de feitas a três
primeiras carreirinhas de ponto quadrado, fiz uma carreira fechada com pontos
médios e mais seis carreiras de pontos quadradinhos, e seguindo assim até o final
da peça, quando na última parte respeitando o que havia feito no começo, depois da
ultima carreira de pontos médios com intervalos de 6 carreiras de quadradinhos, fiz
novamente as 3 carreiras finais de quadradinhos, fechando com a carreira de pontos
médios fechados.
Espero ter conseguido explicar corretamente, para que todos possam ter uma
noção do padrão adotado na peça. Peça esta que ficou bem do jeito que eu desejava,
discreta, mas que com certeza não passará desapercebida.

Não passará, pois infelizmente ainda não pude usá-la. Já que o calor é insuportável
e nós aqui dos trópicos passaremos ainda bons meses nessa situação.
Não vejo a hora de poder usá-lo, mal posso esperar para sair com ele para algum
programa noturno. O que resta é esperar o frio chegar e que apareça uma boa
oportunidade para usá-lo.

Abaixo seguem algumas fotos da peça que foram tiradas com a webcam já escurecendo,
por isso talvez a qualidade não esteja muito favorável. Mas mesmo assim dá para
ter uma boa noção do efeito final da peça. Espero que tenham gostado.


















 

Até o próximo post pessoal! Cya!


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Meu Pitaco - Drácula

Nos nossos dias, é fato que os vampiros conquistaram seu espaço na
cultura mundial. Seja em filmes ou seriados, lá estão eles para sugar o máximo
de sangue que conseguirem...
Mas se hoje eles enfestam nossas televisões, isso se deve a anos de histórias e
lendas, contadas pelos mais diversos povos sobre "criaturas noturnas que chupam
sangue e vivem eternamente".
Lendas essas que inspiram e ainda inspiram muita gente a dissertar sobre este tema,
que apesar dos anos, continua intrigando e fascinando humanos ao redor do planeta.
Se você perguntar a algum jovem sobre um bom livro de vampiros, é bem provavel que
ele cite os livros da Saga Crepúsculo. E se você tiver um pouco mais de dissernimento
e quiser realmente mergulhar no universo vampiresco um aviso: passe longe dessas estórias.


Falemos então do clássicos dos clássicos, tanto dos contos de horror, como os de vampiros,
o sublime "Drácula" de Bram Stoker.
Esta sim, uma obra singular que aborda o assunto de uma forma idônea.
Boa parte das pessoas (bem informadas) tem conhecimento que o escritor irladês escreveu em 1897 seu grande sucesso inspirado no nobre romeno Vlad Tepes, o impalador. Que segundo relatos
históricos, cometia atos totalmente insanos e de pura maldade com aqueles que atravessassem
seu caminho.

Tratando agora do livro em si, citarei pontos importantes - na minha opinião, que
podem servir de certa referência para quem deseja lê-lo.
O livro é narrado na forma de diários. Os principais personagens (menos o grande vampiro),
vão relatando de forma intercalada, estranhos acontecimentos que ocorreram depois da chegada
de um misterioso nobre estrangeiro da região dos Cárpatos romenos.
O livro também possui "trechos de reportagens de jornais" que segundo o autor, foram publicados
na época citada. Isso somado a forma como transcorre o texto, torna-o de uma veracidade
surpreendente. Realmente, parece algum fato ocorrido verdadeiramente na história mundial.

O texto nos prende desde o início, como uma grande teia de aranha. E, apesar dos anos passados
desde que foi escrito; ao ler o livro, com certeza saiba que lhe aguardam momentos de suspense, medo e terror.
Devemos frisar também, que este livro, além do conde, possui personagens que deixaram suas
marcas permanentes na literatura mundial, como o professor Van Helsing e Mina Harker.
Sem esquecer que toda a trama "começa" com a viagem de um jovem corretor à Transilvânia,
para vender algumas propriedades a um estranho e velho conde.
O modo como ele chega a Londres, e muda a vida de diferentes pessoas vou deixar a cargo
da leitura, afinal, isso foi apenas um aperitivo, pois mesmo se eu ficasse aqui,
e por mais linhas que eu escrevesse, ainda assim não compreenderia a magnitude
desse grande clássico.


Nem é preciso dizer que vários filmes foram feitos inspirados na histótia do maior vampiro de
todos os tempos. Alguns fracos, outros excelentes, como o Drácula de Francis Ford
Copolla, que para mim é um dos melhores e mais singulares filmes que já tive o prazer
de assistir. E do qual pretendo falar novamente aqui no blog em outro dos próximos posts.


Para finalizar, confirmo aos leitores que se interessarem que não perderão tempo
ao ler e que com certeza se lembrarão desse conto pelo resto de suas vidas.
Mesmo assim, ainda não se interessou? Talvez seja bom mudar de opinião...























Drácula de Bram Stoker,  da L&PM Editora. Mesma edição que eu li. Na capa, Bela Lugosi que encarnou o conde no cinema numa de suas aparições cinematográficas mais conhecidas.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Touquinha de crochê

Olá pessoal!
Hoje vim falar de algo no qual trabalhei esses últimos três dias: uma nova touquinha de
crochê.
Esta não é a primeira que faço. Tenho uma branca feita de barbante muito fofa.
Já essa fiz com o novelo novo que me pai me comprou, da cor "caqui".
Esta eu fiz sob medida. E foi feita sem maiores dificuldades, afinal não era minha primeira
vez! Hahaha

Essa touquinha (ou boina) é extremamente fácil de se fazer. Para as moçoilas iniciantes, depois das toalhinhas de crochê, pode ser um
segundo passo.
Para fazê-la utilizei apenas correntinhas, pontos baixos, pontos médios e pontos altos, ou seja
não tem muito mistério.
Estou pensando em fazer mais daqui uns tempos sob encomenda para interessadas.
Esse modelo fiz da minha cabeça mesmo (Busquei na internet algo idêntico e não achei igual a essa).
Era bem o que tinha em mente e ficou do jeito que eu queria, bem "rente à cabeça", não larga.
Por isso, é sempre bom, a cada carreira que se faz, ir experimentando a peça, para verificar
se está apertada demais, frouxa ou na medida certa.

Estou postando também duas fotos da touca.
Não reparem, pois eu tirei correndo (já que a bateria da câmera estava indo pras cucuias), por isso,
Mas espero que não atrapalhe a vizualição da mesma. Acreditem, o efeito é muito legal, um charme.
Vale a pena fazer!
Abaixo seguem as fotos, espero que gostem! Mil beijos......




  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Telento Anônimo

A arte está em todos os lugares, todos os cantos e na mente de todos aqueles que a apreciam... Quantas pessoas não passam por nós na rua, e nem imaginamos, que ela possa  ser um Michelangelo, um Alvares de Azevedo, um Mozart...

Talvez se parássemos e prestássemos nossa atenção, seria mais fácil perceber casos assim... Eu tive sorte e percebi um...
Abaixo seguem os dizeres de um poeta que eu tenho orgulho em conhecer, e agora vocês também... Todos nós temos nosso lado sombrio, soturno, todos nós temos nossos dias nublados, devemos tentar ao menos torná-los bonitos, enfeitarmos-os com requinte e lirismo. Esse poeta conseguiu.



Existia um tempo
e nele uma razão qualquer
faleceu a alguns anos por sofrimento
de solidão agúda

tudo ficou úmido e escuro
sobre o cedro nú
uma noite tão fria
que congelava á alma surgiu

havia uma canção
linda, por assim dizer
era um tom de angústia e dor
de alguém que amava o pecado

lembro-me bem da cor dos dias
as nuvens cintilavam em cores mortas
cinza, rubro , violeta e se perdiam nas pretas
nem a chuva vivia em seu leito

um mundo estranho se erguera
do vasto e incrível oceano
de águas sujas e inabitáveis
tonou-se um lar de almas perdidas

a boca jazia seca
e nada crescia além de medo
os ossos definhavam
o coração a deriva aos pedaços

como papel o rosto era dilacerado
por espasmos de vento carrasco
e o tempo ja não tinha nome
era apenas desconhecido

nestes dias nao haviam festas
salões eram cercados de musgos
e as árvores tomaram a primeira dança
entrelaçando seus galhos sem vida

um tempo se foi
e em seu ventre nasceu um novo coração
era agora um tempo forte e feliz
que busca sua propria razão

como papel o rosto era dilacerado
por espasmos de vento carrasco
e o tempo ja não tinha nome
era apenas desconhecido

nestes dias nao haviam festas
salões eram cercados de musgos
e as árvores tomaram a primeira dança
entrelaçando seus galhos sem vida

um tempo se foi
e em seu ventre nasceu um novo coração
era agora um tempo forte e feliz
que busca sua propria razão
tem um espaço entre  o coração a deriva aos pedaços
e como papel o rosto era dilacerado.








  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Crochê

Crochetar é um dos meus passatempos prediletos. Ainda tenho muito o que aprender,
e venho sempre que posso tentando melhorar.
O crochê apareceu para mim quando ainda era bem pequena - uns 8 anos. Quando minha
avó paterna estava fazendo uma toalhinha e me ensinou a fazer as primeiras correntinhas.
Depois disso, pude aprender ainda mais, e dessa vez com a minha avó materna, que me
mostrou o próximo passo. Ponto médio, ponto alto, etc.


Desde então venho me dedicando a essa arte, que é o crochê. Me lembro com carinho,
da primeira toalhinha que fiz, com a qual presenteei minha tia, até as peças que fiz mais recentemente.
Fica claro que vou usar o blog para postar eventualmente coisa ou outra que faço, seja sobre crochê ou artesanato em geral. Espero poder mostrar um pouco do que fiz/faço e quem sabe, não dar alguma boa idéia a alguma moçoila (ou moço, quem sabe) inspirada que esteja em busca de algo simples para ser feito e que seja criativo.


É o caso desse meu 1° post abordando esse lado meu. Contando sobre a florzinha de cabelo que fiz, que é muito fácil e causa um efeito legal. Acreditem, essa florzinha já me rendeu alguns galanteios!

Primeiramente, não sou de seguir a risca as tendências de moda, falo dessa moda que vemos nas ruas.
Tento passar longe disso, mas ainda assim me vestindo de uma forma que pelo menos julgo legal e pegando umas referências daqui ou dali dos grandes estilistas. Mas só o que me caia bem, é lógico.
E foi por esse motivo que surgiu a idéia da florzinha de cabelo.
Apesar de ser um item comum na cabeça das mulheres, eu nunca havia visto uma feita de crochê, então me veio estalo de fazer uma. E é muito fácil. Ai vai o material, seguindo os padrões das minhas:


--> Linha para crochê ou barbante;
--> 1 pregador tic-tac bem pequeno para prender a flor ao cabelo;
--> miçangas grandes para dar um toque especial.


Só isso, fácil né?!

As minhas flores foram feitas só de correntinha mesmo e o efeito ficou do jeito que eu queria. Você pode
incrementar e fazer quantas desejar e da cor que quiser! É um barato ainda mais se você quer algo para
compor um visual "mais romântico" no seu dia.



Minhas primeiras florzinhas: Já estão um tanto velhinhas. A no canto superior foi a 1° que fiz, de barbantes mesmo. E a segunda, utilizando linha Cléa.


Espero que tenham gostado do meu post. Em breve mais alguma novidade!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS